sábado, 19 de novembro de 2011

CARA DE PAU: 'Não disse que não o conheço', afirma Lupi sobre dirigente de ONG



È um CARA DE PAU !

Ouça o que ele DISSE – ainda faz um teatro, virando a folha, fingindo procurar o nome do outro SAFADO - Adair Meira.

Mais um SAFADO desse governinho que tem que deixar o Ministério.

Arrogante no começo e agora com o “rabo entre as pernas”.
Já perdi as contas de quantos Ministros safados já saíram nos últimos meses....

video


O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, admitiu o uso de um avião particular, em viagem ao Maranhão em 2009, mas negou nesta quinta-feira (17), em depoimento de três horas à Comissão de Assuntos Sociais do Senado, que tenha mentido ao afirmar que não conhecia o empresário Adair Meira. 

Meira é dirigente de ONGs posteriormente beneficiadas por convênios com a pasta. O avião utilizado pelo ministro teria sido providenciado pelo dirigente. O ministro afirmou aos senadores que Ezequiel Nascimento, ex-secretário de Políticas Públicas e Emprego do ministério, é quem tem de explicar quem pagou a viagem. "Eu fui de carona do Ezequiel. Compete ao Ezequiel e à companhia aérea [explicar]", afirmou

Na última quinta (10), Lupi foi à Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara para falar sobre o suposto esquema de desvio de verbas públicas e negou ter relações pessoais com Meira. "Nunca andei em jatinho de Adair, não o conheço (...) Não tenho nenhum tipo de relação com ele",” disse Lupi na ocasião.

Nesta quinta, ele leu o trecho das notas taquigráficas de sua fala na Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara. "Eu não menti. Eu não disse em nenhum momento que não andei na aeronave."
O ministro afirmou que não memorizou ou guardou o nome de Adair Meira quando o conheceu. "A memória às vezes falha, eu sou humano (...) Quantos ministros e deputados podem ter usado avião em atividades rotineiras de quem não conhece? Meu erro foi não checar com a apuração que devia. Isso foi o que aconteceu."

No início desta semana, foi divulgada uma foto de Lupi desembarcando em um turbo-hélice King Air. Em nota divulgada na semana passada, o Ministério do Trabalho havia dito que, durante a viagem ao Maranhão, o ministro andou somente em um bimotor Sêneca “de responsabilidade do PDT”.

O empresário Adair Meira contradisse Lupi ao afirmar que esteve com o ministro na mesma aeronave em um dos trechos da viagem. Ele confirmou ter intermediado o aluguel do King Air, mas negou ter arcado com os custos.

Relacionamento com Meira
Nesta quinta, Lupi explicou as declarações sobre seu relacionamento com Meira. "Nunca neguei que o conheço [Adair]. Eu disse que não tinha relação [com ele], o que é diferente", afirmou. No depoimento, Lupi disse que conheceu Adair Meira em 2009, durante viagem ao Maranhão, quando utilizaram a mesma aeronave.

Sobre a viagem ao Maranhão, Lupi disse que por ser uma atividade partidária, pediu ao PDT que organizasse a viagem e que não tomou conhecimento sobre como foram pagas as aeronaves. "Eu não pedi aeronave, não tenho obrigação de saber. Então eu quero saber do que estou sendo acusado."

Lupi também afirmou que utilizou a aeronave a convite de Ezequiel Nascimento, ex-secretário de Políticas Públicas e Emprego. "Eu fui de carona do Ezequiel. Compete ao Ezequiel e a companhia aérea [explicar]", afirmou.
Adair Meira disse que recomendou a Nascimento que alugasse o King Air utilizado por Lupi no Maranhão.

"Eu disse que não tinha andado em avião pessoal [de Adair Meira], é diferente você andar em um taxi-aéreo. Todo avião de carreira é também de um dono", afirmou Lupi.

O ministro disse ainda que “não é crime conhecer as pessoas” e que tem a “melhor referência” das instituições dirigidas por Adair Meira. Lupi reclamou de uma "“tentativa de linchamento”" contra ele e de um “processo de ataques que, segundo afirmou, não se sustenta”.

PDT
Senadores do PDT defenderam que o partido entregue o ministério ao governo e não indique substituto para chefiar a pasta. Lupi, no entanto, afirma que a presença do PDT no governo é a afirmação da causa histórica defendida pelo partido.


Lupi disse que ganhou inimigos por ser "leal" à sua causa e afirmou que "“forças reacionárias"” se aproveitam da situação.

"“Nós temos que ter cuidado para não ser instrumento de forças reacionárias que se aproveitam da situação para nos dividir, para não ser instrumento de forças que não conseguem mais se eleger, perdendo eleições presidenciais, que acham que no tapetão podem ganhar do governo”", declarou.

Durante audiência na comissão, Lupi disse que é preciso fazer um debate sobre o direito de defesa na imprensa. "“A imprensa tem que debater um pouco o direito de defesa. Essa discussão tem que ser travada"”, afirmou.
Apesar das críticas, o ministro afirmou que “não se pode "silenciar a democracia e cercear a liberdade de imprensa"”.
 
Crédito:
G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário